Imprimir Post

Gerenciamento de projetos baseado no PMBOK – Ciclo de vida do projeto

Resumo:

Explicação do ciclo de vida do projeto, entendimento das características e das fases de um projeto.

Palavras-chaves:

Fase, Produto, Iterativo, Ciclo de vida, Incremental.

Texto:

Caros leitores,

Dando continuidade a série de postagens sobre gerenciamento de projetos, hoje será finalizada a parte de introdução a conhecimentos básicos. A postagem irá abordar a explicação, de maneira sucinta, sobre o ciclo de vida de projetos, o entendimento das características deste ciclo e das fases de um projeto.

Deve-se entender a definição do ciclo de vida do projeto, conforme o PMBOK aborda:

Ciclo de vida do projeto - Definição - PMBOKAs fases de projeto, conforme apresentado acima, podem ser divididas por diversos motivos, por exemplo:

  • Disponibilidade financeira;
  • Entregas parciais;
  • Resultados;
  • Objetivos funcionais;
  • Escopo do trabalho.

Normalmente, verifica-se a limitação de fases por tempo, ou seja, contém início e término.

O ciclo de vida do projeto é flexível, ou seja, pode ser formulado de acordo com o aspecto de cada organização, setor da companhia, ou tecnologia empregada, entre outros e tem o objetivo de prover uma estrutura básica para o gerenciamento de projetos.

Deve-se ressaltar que é possível que todos os projetos sejam mapeados para a estrutura genérica do ciclo de vida do projeto. Esta estrutura genérica normalmente é utilizada na comunicação com o board da organização ou outras entidades que, possivelmente, estejam menos familiarizadas com alguns detalhes do projeto. Ainda assim, deve-se ter em mente a diferença com os grupos de processos de gerenciamento de projetos, isto se deve ao fato de que os processos de um grupo processos é composto por atividades que podem ocorrer novamente em cada fase de um ciclo de vida do projeto, por exemplo, as atividades de identificar as partes interessadas estão no grupo de processos de iniciação, por uma ordem lógica, porém elas podem ocorrer diversas vezes durante o projeto, ou seja, em diversas fases do ciclo de vida do projeto.

Outro ponto que deve ser claro ao leitor é a diferença entre o ciclo de vida do projeto e o ciclo de vida do produto.

Deve-se entender a definição do ciclo de vida do produto, conforme o PMBOK aborda:

term_produtoBaseado na definição acima, o ciclo de vida do projeto é composto pelas fases do projeto, já o ciclo de vida do produto refere-se ao produto criado ou modificado pelo projeto.

Ciclo de vida do projeto - Imagem - PMBOK

Ciclo de vida do projeto

Acima, verifica-se a estrutura básica do ciclo de gerenciamento de projeto, conforme o PMBOK apresenta. De acordo com esta estrutura, todos os projetos podem ser mapeados da seguinte forma:

  • Início do projeto;
  • Organização e Preparação;
  • Execução do Trabalho;
  • Encerramento do projeto.

A estrutura de ciclo de vida do projeto apresenta algumas características, sendo estas:

  • No início do projeto os custos e o pessoal alocado são pequenos, atingem seu ápice na execução e caem vertiginosamente no término;
  • Esta curva de custo não se aplica a todos os projetos e pode variar;
  • Os risco e incertezas são maiores no início do projeto e diminuem gradativamente conforme o projeto é executado;
  • Os custos das mudanças no início do projeto são menores, porém elas crescem conforme o projeto progride.

Abaixo se tem a imagem referente aos possíveis impactos no decorrer do projeto:

Análise de Impacto x Tempo - Riscos - PMBOK

Análise de Impacto x Tempo

Fases do projeto

Um projeto pode ser dividido em diversas fases. As fases do projeto são consideradas como um conjunto de atividades que se relacionam de maneira lógica e visa a conclusão de uma entrega, estas fases de projeto são utilizadas quando o trabalho é único para o projeto e são ligadas visando uma entrega principal. Tais fases, normalmente, são sequenciadas, porém pode ocorrer sobreposição de fases de acordo com a necessidade do projeto.

Por meio da estrutura de fases, o projeto poderá ser segregado em subconjuntos, visando facilitar o gerenciamento, planejamento e controle. Independentemente da quantidade de fases, da duração de cada fase ou do grau de controle aplicado, todas possuem características semelhantes, sendo estas:O trabalho de uma fase tem o foco diferente das demais fases;

  • Os controles e processos utilizados para cada fase podem ser exclusivos e baseados na necessidade de entrega de cada fase e nos controles necessários para realizar esta entrega;
  • O encerramento de uma fase normalmente ocorre de maneira formal, ele pode se dar com a transferência ou entrega do produto produzido pela fase. Em alguns casos pode haver necessidade de aprovação para encerramento da fase.

Deve-se entender que não há estrutura considerada ideal para ser aplicada a todos os projetos, ou seja, projetos de uma mesma organização podem apresentar variações nas fases que compõem o projeto. Pode ocorrer de algumas organizações estipularem políticas visando padronizar os projetos, em outros casos as organizações podem deixar que a equipe de projeto escolha a abordagem mais adequada.

Relações entre fases

Quando um projeto é composto por diversas fases, verifica-se normalmente que estas fases são partes de um processo estruturado sequencialmente visando garantir o controle adequado para que o projeto possa criar o produto, resultado ou serviço esperado. Porém, podem existir situações em que será benéfico ao projeto que haja fases sobrepostas ou simultâneas.

O PMBOK aborda dois tipos de relações entre fases:

  • Relação sequencial: neste tipo de relação, uma fase só poderá ser iniciada quando a anterior for finalizada. O benefício desta relação é a redução das incertezas.
  • Relação sobreposta: neste tipo de relação, uma fase pode iniciar mesmo sem que a fase anterior tenha sido encerrada. Um exemplo de aplicação é a técnica de compressão do cronograma denominada paralelismo. O benefício neste modelo de relação entre fases é a redução do tempo para execução do projeto, porém pode haver a necessidade de recursos adicionais e, possivelmente, o aumento das incertezas do projeto.

AtençãoUma vez que está apresentada as possíveis relações entre as fases de projeto, deve-se retornar a explicação dos tipos de ciclo de vida do projeto.

Tipos de ciclo de vida

O PMBOK aborda três tipos de ciclo de vida do projeto, conforme será exposto abaixo:

Ciclo de vida preditivo

Neste tipo de ciclo de vida o escopo do projeto, o tempo e o custo necessários para entregar o escopo são definidos o mais breve possível no ciclo de vida do projeto. Neste caso, no início do projeto a equipe de projetos se concentra em definir o escopo do projeto e do produto a ser gerado, depois desenvolve um plano de entrega do produto, e então segue as fases necessárias para a execução do plano. As mudanças, neste caso, são rigorosamente gerenciadas e exigem o replanejamento do escopo e o aceite formal.

Este tipo de ciclo de vida normalmente é escolhido quando há um claro entendimento do produto a ser entregue, quando há uma vasta base de práticas conhecidas, ou quando o produto só agrega valor se entregue por inteiro.

Ciclo de vida iterativo e incremental

Os ciclos de vida iterativos e incrementais são aqueles em que as fases do projeto repetem as atividades a medida que a equipe de projetos compreende o produto. Iterações é onde o produto é desenvolvido através de uma série de ciclos repetidos, enquanto os incrementos adicionam novas funcionalidades ao produto. Neste caso o produto do projeto é desenvolvido de forma iterativa e incremental.

Este tipo de ciclo de vida é preferido, normalmente, quando a equipe de projetos identifica que haverá a necessidade de administrar mudanças no escopo e nos objetivos, reduzir a complexidade do projeto ou quando há benefícios em se obter entregas parciais do produto.

Ciclo de vida adaptativo

Este tipo de ciclo de vida é concebido para se adequar ao alto nível de mudanças e envolvimento contínuo das partes interessadas, este método também é considerado iterativo e incremental, porém a diferença é a velocidade das iterações, muito mais rápidas neste caso.

O ciclo de vida adaptativo é preferido, normalmente, quando se lida com um ambiente de grande mutação, quando escopo e requisitos do projeto são de difícil definição.

Considerações Finais:

Entende-se que o ciclo de vida do projeto é determinado de acordo com a necessidade do projeto e com suas características, como, por exemplo, a facilidade de se definir o escopo do projeto ou seus requisitos, bem como se haverá valor em entregar o produto do projeto parcialmente ou integralmente.

Referência Bibliográfica:

Um Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK) – 5ª Edição – Project Management Insititute, Inc.

Sobre o autor

Daniel Teran Duarte

Formado em análise e desenvolvimento de sistemas e pós-graduado em Administração de empresas pela FGV – Fundação Getúlio Vargas, e em Consultoria empresarial pela FIA – Fundação Instituto de Administração. Em seus conhecimentos complementares existem diversas certificações, com destaque para as seguintes: Formado em análise e desenvolvimento de sistemas e pós-graduado em Administração de empresas pela FGV – Fundação Getúlio Vargas, e em Consultoria empresarial pela FIA – Fundação Instituto de Administração.

Em seus conhecimentos complementares existem diversas certificações, sendo estas: PMP – Project Management Professional; PRINCE2® Practitioner; PSM I – Professional Scrum Master I; HCMP® 3G Expert Professional; MCP - Microsoft Project 2013; ITIL V3 Expert; ISO 20.000 Consultant Manager; HDI SCM - Support Center Manager; Cobit; ISO 9001:2015 Auditor Líder; ISO 22301:2012 Auditor Líder.

Para conhecer mais sobre Daniel Teran Duarte, visite o perfil no Linkedin ou encaminhe um e-mail.

Link permanente para este artigo: http://linksinergia.com.br/2014/09/10/gerenciamento-de-projetos-baseado-no-pmbok-ciclo-de-vida-do-projeto/