Imprimir Post

Gerenciamento de Projetos basedo no PMBOK – Gerenciamento do Escopo do Projeto – Parte 5.1

Resumo:

Apresentar ao leitor o processo: criar estrutura analítica de projeto (EAP).

Adianta o autor que esta postagem será dividida em duas partes, sendo a postagem atual utilizada para explicar o processo criar EAP, e a segunda postagem para apresentar exemplos de como uma EAP pode ser criada, apresentar um modelo de dicionário de EAP, bem como apresentar ao leitor algumas ferramentas que possibilitam a criação da EAP mais facilmente.

Palavras-chaves:

EAP, Criar, Estrutura, Analítica, Projeto, Processo.

Texto:

Caros leitores,

Dando continuidade a série de postagens que abordam a área de conhecimento gerenciamento de escopo do projeto, hoje será abordado o processo criar estrutura analítica de projeto (EAP).

Antes de começar a explanar o processo, o autor deseja apresentar ao leitor a definição apresentada pelo PMBOK sobre o que é estrutura analítica de projeto (EAP) ou também conhecido como Work Breakdown Structure (WBS). Segue abaixo o a definição do termo:

EAP - WBS - Terminologia - PMBOK - Link SinergiaPense, caro leitor, que um projeto pode ser grande e complexo, bem como apresentar diversas entregas e que tenha muitas atividades a serem executadas. A EAP ajudará exatamente nisto, pois decompõem o trabalho total do projeto em partes menores, tornando mais fácil o gerenciamento das entregas dos projeto e o gerenciamento do projeto em sua totalidade. Assim sendo, o principal benefício da EAP é o fornecimento de uma visão estrutural de tudo que deve ser entregue.

A EAP é composta por uma série níveis, tendo o seu nível mais baixo denominado como pacote de trabalho. Um pacote de trabalho normalmente é utilizado para agrupar atividades, vale ainda ressaltar que, no contexto da EAP, o trabalho é referido como entregas ou produtos do trabalho que serão gerados pela atividade, e não pela atividade em si.

ATT_1_GEP_5A figura abaixo apresenta do fluxo do processo criar estrutura analítica do projeto. Segue:

Criar Estrutura Analítica do Projeto (EAP) - Processo - PMBOK

Fluxo do Processo – Entradas, Técnicas, Ferramentas e Saídas

Criar EAP – Entradas:

  • Plano de gerenciamento do escopo: apresentado anteriormente, o plano de gerenciamento do escopo é um documento considerado um plano auxiliar que compõem o plano de gerenciamento do projeto. Este documento especifica, basicamente, como o gerente de projeto e a equipe de gerenciamento de projeto irão gerenciar o escopo do projeto, bem como o escopo do produto, serviço ou resultado que será gerado pelo projeto. Para o processo criar EAP ele é fundamental, pois este documento especifica como criar, manter e aprovar a EAP.

RLM_PLN_ESC_GEP5

  • Especificação do escopo do projeto: apresentada anteriormente, a especificação do escopo do projeto descreve, detalhadamente, todo o trabalho que será executado pelo projeto e o que não será realizado. Este documento também contempla restrições, limitações internas e externas que podem causar impactos ao bom andamento do projeto.

RLM_DFN_ESC_GEP5

  • Documentação dos requisitos: apresentada anteriormente, esta documentação tem o objetivo de descrever como cada requisito individual está relacionado as necessidades do negócio para o projeto. Esta documentação é necessária para entender tudo o que o projeto tem de realizar, bem como o deve ser feito para que o projeto possa realizar suas entregas.
  • Fatores ambientais da empresa: é o conjunto de todos os fatores, internos e externos, que possam exercer algum tipo de influência, restrição ou direcionamento sobre o negócio e, consequente, sobre o gerenciamento de projeto. Para o processo criar EAP, os fatores ambientais da empresa podem determinar que uma EAP tenha de ser criada de acordo com algumas determinações, entre outros.
  • Ativos de processos organizacionais: são planos, procedimentos, políticas, processos e a base de conhecimento que a organização possui e pode utilizar. Neste caso, os ativos de processos organizacionais podem determinar um modelo específico de EAP, podem influenciar por meio de lições aprendidas, entre outros.

Criar EAP – Ferramentas e técnicas:

  • Decomposição: trata-se de divisão e subdivisão do escopo do projeto e entregas do projeto em partes menores e melhores gerenciáveis. O nível de decomposição varia de acordo com o grau de controle que será aplicado para gerenciar o projeto adequadamente, assim sendo, pode variar de acordo com tamanho, complexidade, entre outros. Este trabalho de decomposição normalmente contempla as seguintes atividades:
    • Identificação e análise das entregas do projeto;
    • Estruturação da EAP;
    • Organização da EAP;
    • Decomposição da EAP;
    • Desenvolvimento de códigos de identificação aos componentes da EAP;
    • Verificação de grau de decomposição da EAP.
  • Opinião especializada: apresentada em diversas postagens, a utilização de opinião especializada nada mais é do que utilizar os conhecimentos de profissionais especializados ou profissionais com experiência relevante no assunto. No processo criar EAP, estes conhecimentos são aplicados para analisar as informações necessárias para decompor as entregas de projeto de maneira eficaz, a fim de criar uma EAP eficaz. Esta opinião especializada também pode ser utilizada para a utilização de modelos pré-definidos que fornecem orientação sobre como realizar a decomposição.

Criar EAP – Saídas:

  • Linha de base do escopo: trata-se da versão aprovada da especificação do escopo do projeto, da EAP e do dicionário da EAP associado. A linha de base do escopo, segundo orienta o PMBOK, somente poderá ser alterada por meio de procedimentos formais. A linha de base do escopo é considerada um componente do plano de gerenciamento do projeto.

Term_Linha_Base_Escopo_projCaro leitor, um ponto importante que é gerado neste processo é o dicionário da EAP. Este documento fornece informações sobre as entregas, atividades e agendamento de cada componente da EAP, e é considerado um documento de suporte à EAP. Ele pode conter as seguintes informações:

    • Código de Identificação;
    • Descrição do trabalho;
    • Premissas;
    • Restrições;
    • Atividades do cronograma associadas;
    • Recursos necessários;
    • Requisitos de qualidade;
    • Critérios de aceitação;
    • Estimativa de custos;
    • Referências técnicas.
  • Atualizações nos documentos do projeto: pode ocorrer, devido ao processo criar EAP, mudanças que podem demandar atualização na documentação do requisitos, entre outros.

Considerações finais:

Caro leitor, assim encerra-se a primeira postagem sobre o processo criar estrutura analítica de processo (EAP). Este processo, resumidamente, visa criar um mapa visual para apresentar o projeto de uma maneira mais legível. Isto facilita o trabalho do gerente de projeto, da equipe de gerenciamento, além de facilitar o entendimento das partes interessadas sobre como o projeto está estruturado. Diferente de outros processos que são fundamentais para o gerenciamento do projeto, este processo não é fundamental para o bom andamento do projeto, apesar de facilitar o entendimento.

Referências bibliográficas:

Um Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK) – 5ª Edição – Project Management Insititute, Inc.

Sobre o autor

Daniel Teran Duarte

Formado em análise e desenvolvimento de sistemas e pós-graduado em Administração de empresas pela FGV – Fundação Getúlio Vargas, e em Consultoria empresarial pela FIA – Fundação Instituto de Administração. Em seus conhecimentos complementares existem diversas certificações, com destaque para as seguintes: Formado em análise e desenvolvimento de sistemas e pós-graduado em Administração de empresas pela FGV – Fundação Getúlio Vargas, e em Consultoria empresarial pela FIA – Fundação Instituto de Administração.

Em seus conhecimentos complementares existem diversas certificações, sendo estas: PMP – Project Management Professional; PRINCE2® Practitioner; PSM I – Professional Scrum Master I; HCMP® 3G Expert Professional; MCP - Microsoft Project 2013; ITIL V3 Expert; ISO 20.000 Consultant Manager; HDI SCM - Support Center Manager; Cobit; ISO 9001:2015 Auditor Líder; ISO 22301:2012 Auditor Líder.

Para conhecer mais sobre Daniel Teran Duarte, visite o perfil no Linkedin ou encaminhe um e-mail.

Link permanente para este artigo: http://linksinergia.com.br/2015/02/09/gerenciamento-de-projetos-basedo-no-pmbok-gerenciamento-do-escopo-do-projeto-parte-5-1/