Imprimir Post

Certificações – Para que servem? – Etiqueta Profissional

Resumo:

Apresentar ao leitor a perspectiva pessoal do autor sobre profissionais certificados.

Palavras-chaves:

Certificação, Profissionais, Atitude, Profissionalismo, Projetos.

Texto:

Caros leitores,

Em diversas postagens o autor tem destacado que o gerente de projeto deve possuir diversas habilidades. Muitas destas habilidades podem ser adquiridas por meio de capacitações e processos de certificações que comprovem seus conhecimentos seja no PMBOK®, no PRINCE2® ou ainda no SCRUM®, porém outras habilidades somente poderão ser obtidas por meio da experiência e/ou o preparo em outras áreas de conhecimento.

Uma das áreas de conhecimento mais fundamentais do PMBOK® é a de gerenciamento dos recursos humanos. Tal relevância deve-se ao fato de que projetos são feitos por pessoas e para pessoas. Logo, mais do que simplesmente saber conduzir um projeto, o gerente de projetos deve possuir habilidades de relacionamento interpessoal, de liderança, de comunicação e outras, pois um projeto não se resume a planos, cronogramas, documentos, listas e outros, um projeto é muito mais do que isto. Projetos dependem de intenções, de empenho dos envolvidos, de trabalho em grupo e por aí vai. Esta abordagem apresentada pelo autor deve-se ao fato de que este tem notado algo péssimo, profissionais com certificação, principalmente PMP®, mas sem a postura adequada de um gerente de projeto, sem o estilo adequado de motivação e muitos outros atributos que são fundamentais para o correto gerenciamento de projetos.

Não adianta possuir certificações, seja de qual área for, e não trabalhar corretamente. Vale lembrar que certificações não gerenciam projetos, certificações não lideram pessoas, certificações não trabalham para manter um time de projetos motivado. A certificação é apenas um atestado de que o profissional apresentou conhecimento suficiente em determinada área. Tem-se de respeitar profissionais que são certificados, pois eles ao menos se esforçaram para obter as certificações, porém eles devem respeitar ainda mais as certificações que possuem, devem zelar por todo um grupo de profissionais que carregam o mesmo título que eles, devem entender que as certificações não lhes tornam deuses absolutos e inquestionáveis, não lhes tornam mais ou menos do que outros profissionais e nem lhes retira a necessidade de se empenharem e trabalhar corretamente. Quantas vezes o autor já não viu, e você também, caro leitor, assinaturas empresarias com o nome do profissional e virgulas separando certificações, isto é normal, o próprio Linkedin tem isto. Agora me diga, qual a finalidade de possuir suas certificações após o nome? Possuir maior autoridade entre seus colegas? Reconhecimento de outros profissionais? Ouvir um “olha, o cara é isto ou aquilo”? O autor, caros leitores, não consegue responder a tais questões, justamente por não ser lógica este tipo de situação.

Este que vos escreve, o autor, possui uma série de certificações e reconhece o valor delas para ascensão profissional, para obtenção de novas oportunidades e até mesmo para possuir uma voz mais ativa no meio profissional, porém entende que possuir uma certificação não é algo que lhe torna mais, mas sim uma responsabilidade para realizar trabalhos de qualidade elevada. Certificações devem ser sempre resultados de um processo de aprendizagem, mas nunca o foco principal. Devem sim os profissionais buscarem certificações para mostrarem que possuem conhecimentos adequados em determinadas áreas, porém sempre conscientes de que as certificações impõem uma série de necessidades, como postura, profissionalismo, atitude e outras.

Considerações finais:

Assim, caros leitores, encerra-se a postagem de hoje, onde o autor tentou, de maneira não ofensiva, apresentar uma situação recorrente no mundo corporativo.

Gostaria de ressaltar o autor que mais do que possuir uma certificação, os profissionais devem estudar para possuir conhecimento, pois a certificação é uma mera consequência do conhecimento.

Referências Bibliográficas:

Não disponível.

Sobre o autor

Daniel Teran Duarte

Formado em análise e desenvolvimento de sistemas e pós-graduado em Administração de empresas pela FGV – Fundação Getúlio Vargas, e em Consultoria empresarial pela FIA – Fundação Instituto de Administração. Em seus conhecimentos complementares existem diversas certificações, com destaque para as seguintes: Formado em análise e desenvolvimento de sistemas e pós-graduado em Administração de empresas pela FGV – Fundação Getúlio Vargas, e em Consultoria empresarial pela FIA – Fundação Instituto de Administração.

Em seus conhecimentos complementares existem diversas certificações, sendo estas: PMP – Project Management Professional; PRINCE2® Practitioner; PSM I – Professional Scrum Master I; DEVOPS Master; HCMP® 3G Expert Professional; MCP - Microsoft Project 2013; ITIL V3 Expert; ISO 20.000 Consultant Manager; HDI SCM - Support Center Manager; Cobit; ISO 9001:2015 Auditor Líder; ISO 22301:2012 Auditor Líder.

Para conhecer mais sobre Daniel Teran Duarte, visite o perfil no Linkedin ou encaminhe um e-mail.

Link permanente para este artigo: http://linksinergia.com.br/2016/10/10/certificacoes-para-que-servem/