Imprimir Post

Planejar o gerenciamento das comunicações – Ger. das comunicações – Parte 3

Resumo:

Continuar a apresentação das ferramentas e técnicas do processo planejar o gerenciamento das comunicações.

Palavras-chaves:

Ferramentas, Tecnologia, Comunicações, Processo, Gerenciamento.

Texto:

Caros leitores,

Na última postagem o autor iniciou a apresentação das ferramentas e técnicas que compõem o processo planejar o gerenciamento das comunicações. Por se tratar de um assunto de extrema importância e de grande valia para quem é ou pretende ser gerente de projeto, o autor está trabalhando o assunto com muito esmero, para que você, caro leitor, possa ter a disposição informações de alta qualidade.

Na primeira postagem sobre as ferramentas e técnicas do processo, os leitores puderam visualizar o tema análise de requisitos das comunicações e canais de comunicação.

Planejar o gerenciamento das comunicações - Relembre

Planejar o gerenciamento das comunicações – Ferramentas e Técnicas:

  • Tecnologia de comunicações: o gerente de projeto irá determinar quais serão as tecnologias que serão adotadas para que a comunicação do projeto se dê de maneira eficiente e eficaz. Por exemplo, em determinado projeto na organização “A”, o gerente de projeto poderá optar por reuniões, memorandos e outros, já em outro projeto ele poderá se valer do uso de e-mail e mensagens instantâneas. O fato é que diversos fatores poderão influenciar na escolha da tecnologia das comunicações, dentre eles:
    • Urgência e necessidade de informações: a urgência, frequência e o formato das informações devem ser considerados no momento de escolha das tecnologias de comunicação, pois determinada tecnologia pode não ser a mais adequada as variáveis já citadas.
    • Disponibilidade de tecnologia: é necessário escolher tecnologias que estejam disponíveis e que sejam acessíveis por todas as partes interessadas. Costuma ocorrer, com grande frequência, que empresas especializas em gerenciamento de projetos utilizem o Microsoft Project para realizar a disponibilização de informações, porém nem sempre todas as partes interessas possuem acesso ao software, prejudicando a comunicação do projeto.
    • Facilidade de uso: o nível de complexidade da tecnologia a ser escolhida deve ser avaliado, pois caso as partes interessadas não consigam utilizar adequadamente a tecnologia, além do descontentamento, haverá a quebra da comunicação.
    • Ambiente de projeto: é necessário avaliar uma série de variáveis no momento da escolha das tecnologias que irão suportar as comunicações. Avaliar se a equipe irá operar presencialmente ou remotamente, se haverá membros em diversas localidades, fusos horários, idiomas, cultura organizacional e outros.
    • Sensibilidade e confidencialidade das informações: este é o item mais delicado de todos, pois a sensibilidade e a confidencialidade das informações é extremamente crítica para o projeto e para o negócio. Imagine, caro leitor, que a empresa está executando um projeto inovador. Se a informação cair nas mãos da concorrência, tudo pode estar perdido.

Considerações finais:

Assim, caros leitores, o autor finaliza a explicação tecnologia de comunicações. O objetivo principal desta postagem é justamente expor que a definição da tecnologia que suportará a comunicação do projeto é muito mais ampla do que simplesmente dizer que tudo será encaminhado por e-mail, por exemplo. Avaliar corretamente a tecnologia a ser adotada impedirá que problemas de comunicação ocorram.

Referência bibliográfica:

Um Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK) – 5ª Edição – Project Management Institute, Inc.

Sobre o autor

Daniel Teran Duarte

Formado em análise e desenvolvimento de sistemas e pós-graduado em Administração de empresas pela FGV – Fundação Getúlio Vargas, e em Consultoria empresarial pela FIA – Fundação Instituto de Administração. Em seus conhecimentos complementares existem diversas certificações, com destaque para as seguintes: Formado em análise e desenvolvimento de sistemas e pós-graduado em Administração de empresas pela FGV – Fundação Getúlio Vargas, e em Consultoria empresarial pela FIA – Fundação Instituto de Administração.

Em seus conhecimentos complementares existem diversas certificações, sendo estas: PMP – Project Management Professional; PRINCE2® Practitioner; PSM I – Professional Scrum Master I; HCMP® 3G Expert Professional; MCP - Microsoft Project 2013; ITIL V3 Expert; ISO 20.000 Consultant Manager; HDI SCM - Support Center Manager; Cobit; ISO 9001:2015 Auditor Líder; ISO 22301:2012 Auditor Líder.

Para conhecer mais sobre Daniel Teran Duarte, visite o perfil no Linkedin ou encaminhe um e-mail.

Link permanente para este artigo: http://linksinergia.com.br/2017/01/11/planejar-o-gerenciamento-das-comunicacoes-p-3/