Imprimir Post

Planejar o gerenciamento dos riscos – Ger. dos Riscos – Parte 1

Resumo:

Introduzir o leitor ao processo planejar o gerenciamento dos riscos.

Palavras-chave:

Planejar, Gerenciamento, Riscos, Processo, Projeto, PMBOK.

Texto:

Caros leitores,

Assim como nas demais áreas de conhecimento que são abordadas pelo PMBOK®, o primeiro processo que compõem a área de conhecimento de gerenciamento dos riscos do projeto é o processo planejar o gerenciamento dos riscos, que tem o objetivo de definir como serão conduzidos os processos e as atividades de gerenciamento dos riscos do projeto.

O grande ponto a se ressaltar é que este processo tem como principal benefício a definição do grau, tipo e visibilidade dos riscos, para que o gerenciamento dos riscos seja executado de maneira proporcional tanto aos riscos relacionados ao projeto, quanto para a importância do projeto para a organização.

O processo planejar o gerenciamento dos riscos é de suma importância, pois é por meio deste processo que irá se obter o comprometimento e o apoio das partes interessadas, para que o gerenciamento de riscos, em sua totalidade, possa ser executado de maneira efetiva.

Sem maiores delongas, segue o fluxo do processo:

Planejar o Gerenciamento dos riscos

Planejar o gerenciamento dos riscos – Entradas:

  • Plano de gerenciamento do projeto: apresentado anteriormente, trata-se do documento que descreve como o projeto deve ser executado, controlado, monitorado e encerrado. É composto pelos planos auxiliares, que são os planos de gerenciamento das demais áreas de conhecimento do PMBOK®. A partir do plano de gerenciamento de projeto, o processo planejar o gerenciamento dos riscos irá analisar todos os planos auxiliares e linhas de base aprovados, a fim de estabelecer o gerenciamento dos riscos de maneira consistente.
  • Termo de abertura do projeto: o termo de abertura do projeto é o documento que oficializa a execução do projeto, o gerente do projeto e dá, ao gerente de projeto, o nível de autoridade necessário para executar o projeto. A partir deste documento, o processo planejar o gerenciamento dos riscos irá obter algumas informações, dentre elas os riscos de alto nível, que são mapeados no início do projeto, a descrição de alto nível do projeto e os requisitos de alto nível.

Planejar o Gerenciamento dos riscos - Atenção

  • Registro das partes interessadas: trata-se de um documento que contém o registro de todas as partes interessadas e auxiliará na identificação de quais são as informações necessárias para planejar o gerenciamento dos riscos.
  • Fatores ambientais da empresa: é o conjunto de fatores, internos ou externos, que possam exercer influência, restrição ou direcionamento sobre o negócio e, consequentemente, sobre o modo como o projeto será gerenciado.
  • Ativos de processos organizacionais: são processos, procedimentos, planos e bases de conhecimento que uma organização possui e que podem influenciar como o gerenciamento de projeto será executado. Dentre os ativos de processos organizacionais que influenciam o processo planejar o gerenciamento dos riscos, estão:
    • Lições aprendidas;
    • Descrições de termos e conceitos;
    • Papéis e responsabilidades;
    • Formato de especificação de riscos;
    • Categorias de riscos.

Considerações finais:

Assim, caros leitores, encerra-se a primeira postagem sobre o processo planejar o gerenciamento dos riscos, cujo objetivo é definir como serão conduzidos os processos e as atividades de gerenciamento dos riscos do projeto.

Vale ressaltar, novamente, que todos projetos possuem riscos e que o gerenciamento correto dos riscos pode aumentar as chances de sucesso do projeto, conforme o autor já destacou em postagens anteriores.

Gerenciamento dos Riscos do Projeto - Relembre

Referência bibliográfica:

Um Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK) – 5ª Edição – Project Management Institute, Inc.

Sobre o autor

Daniel Teran Duarte

Formado em análise e desenvolvimento de sistemas e pós-graduado em Administração de empresas pela FGV – Fundação Getúlio Vargas, e em Consultoria empresarial pela FIA – Fundação Instituto de Administração. Em seus conhecimentos complementares existem diversas certificações, com destaque para as seguintes: Formado em análise e desenvolvimento de sistemas e pós-graduado em Administração de empresas pela FGV – Fundação Getúlio Vargas, e em Consultoria empresarial pela FIA – Fundação Instituto de Administração.

Em seus conhecimentos complementares existem diversas certificações, sendo estas: PMP – Project Management Professional; PRINCE2® Practitioner; PSM I – Professional Scrum Master I; DEVOPS Master; HCMP® 3G Expert Professional; MCP - Microsoft Project 2013; ITIL V3 Expert; ISO 20.000 Consultant Manager; HDI SCM - Support Center Manager; Cobit; ISO 9001:2015 Auditor Líder; ISO 22301:2012 Auditor Líder.

Para conhecer mais sobre Daniel Teran Duarte, visite o perfil no Linkedin ou encaminhe um e-mail.

Link permanente para este artigo: http://linksinergia.com.br/2017/04/17/planejar-o-gerenciamento-dos-riscos-p1/