Imprimir Post

Controlar os riscos – Ger. dos Riscos – Parte 2

Resumo:

Apresentar as ferramentas e técnicas do processo controlar os riscos.

Palavras-chaves:

Processo, Controlar, Riscos, Gerenciamento, Projeto, PMBOK.

Texto:

Caros leitores,

Dando continuidade a explicação do processo controlar os riscos, o autor irá apresentar as ferramentas e técnicas que compõem o processo.

Controlar os riscos

Controlar os riscos – Ferramentas e Técnicas:

  • Reavaliação dos riscos: consiste na identificação de novos riscos, reavaliação dos riscos mapeados e encerramentos dos riscos desatualizados. Sugere-se que as reavaliações dos riscos ocorram em períodos definidos. A frequência e o nível de detalhamento variam de projeto para projeto.
  • Auditorias dos riscos: possuem o objetivo de examinar e documentar a eficácia das respostas aos riscos, bem como o processo de gerenciamento dos riscos. Cabe ao gerente do projeto assegurar que as auditorias dos riscos ocorram de acordo com a frequência estabelecida no plano de gerenciamento dos riscos.
  • Análises de variação e tendências: diversas técnicas de análises de variações e tendências podem ser adotadas, a fim de comparar os resultados planejados e obtidos. Os resultados destas análises poderão ser úteis para o processo controlar os riscos.
  • Medição de desempenho técnico: esta técnica compara as realizações técnicas com o cronograma de realizações técnicas. É necessário haver definições de medidas quantificáveis e objetivas de desempenho, a fim de que possam ser comparadas adequadamente. As medidas, por exemplo, podem ser compostas por número de defeitos entregues, capacidade de armazenamento, prazos e outros.
  • Análise de reservas: a análise de reservas busca comparar a quantidade restante de reservas para contingências em relação aos riscos restantes, a fim de verificar se estas são adequadas.
  • Reuniões: o gerenciamento de riscos pode estar presente em pautas de reuniões durante a execução do projeto, a fim de controlar adequadamente os riscos do projeto.

Considerações finais:

Assim, caros leitores, encerra-se a segunda postagem sobre o processo controlar os riscos. O objetivo desta postagem foi apresentar as ferramentas e técnicas adotadas pelo PMBOK®.

Um ponto que o autor gostaria de destacar é a frequência e o escopo das auditorias dos riscos. Definir adequadamente estes itens é fundamental para que auditorias tenham se objetivo cumprido, que é apontar pontos que podem ser melhorados, e não apontar problemas com o objetivo de criticar.

Referência bibliográfica:

Um Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK) – 5ª Edição – Project Management Institute, Inc.

Sobre o autor

Daniel Teran Duarte

Formado em análise e desenvolvimento de sistemas e pós-graduado em Administração de empresas pela FGV – Fundação Getúlio Vargas, e em Consultoria empresarial pela FIA – Fundação Instituto de Administração. Em seus conhecimentos complementares existem diversas certificações, com destaque para as seguintes: Formado em análise e desenvolvimento de sistemas e pós-graduado em Administração de empresas pela FGV – Fundação Getúlio Vargas, e em Consultoria empresarial pela FIA – Fundação Instituto de Administração.

Em seus conhecimentos complementares existem diversas certificações, sendo estas: PMP – Project Management Professional; PRINCE2® Practitioner; PSM I – Professional Scrum Master I; HCMP® 3G Expert Professional; MCP – Microsoft Project 2013; ITIL V3 Expert; ISO 20.000 Consultant Manager; HDI SCM – Support Center Manager; Cobit; ISO 9001:2015 Auditor Líder; ISO 22301:2012 Auditor Líder.

Para conhecer mais sobre Daniel Teran Duarte, visite o perfil no Linkedin ou encaminhe um e-mail.

Link permanente para este artigo: http://linksinergia.com.br/2017/10/02/controlar-os-riscos-p2/