Imprimir Post

Mudanças impositivas – HCMBOK® – Fator Humano em projetos

Resumo:

Entenda o conceito de mudanças impositivas e seus efeitos sobre o gerenciamento de projetos.

Palavras-chaves:

Mudanças, Impositivas, Gerenciamento, Projetos, HCMBOK.

Texto:

Caros leitores,

Quantas vezes nos deparamos com mudanças que não podem ser geridas? Diversas, lidamos com isto o tempo todo. Veja, os terremotos que arrasam o Chile, ou ainda o Tsunami de 2004 que matou centenas de milhares de pessoas. Isto é o que chamamos de mudanças impositivas, ou seja, mudanças pelas quais somos impactados e somos forçados a nos adaptar. Este tipo de mudança é a pior possível, pois somente podemos reagir, não havendo preparação ou ação prévia. Mas como as mudanças impositivas afetam projetos? Veremos o assunto logo abaixo.

HCMBOK - Fator humano em projetos

Mudanças impositivas e o mundo corporativo

Quantas vezes você não foi surpreendido pela troca de um chefe, ou ainda o desligamento de um colega de trabalho? Isto são mudanças impositivas e, por mais estranho que possam parecer, vão ocorrer. Com projetos não é diferente, porém os efeitos são mais perceptíveis.

Imagine, caro leitor, que você um dia chega ao seu trabalho e é chamado a sala do chefe. Lá você é notificado de que passará a utilizar um sistema novo, em substituição do sistema que você utilizava. Você é encaminhado a um treinamento e passa a conhecer o novo sistema que, por sinal, é totalmente diferente do anterior. De cara você percebe que algumas funções que lhe ajudavam muito não estão disponíveis. As cores são diferentes, os ícones, os botões, tudo é diferente. Sua reação, provavelmente, será de insatisfação e descontentamento.

Isto ocorre por conta da mudança impositiva, ou seja, uma mudança mandatória e sem a participação das partes interessadas. Este tipo de mudança é comum em organizações altamente hierarquizadas onde o poder de decisão é concentrado em poucas pessoas.

Os efeitos são nefastos. Em alguns casos, sistemas são descontinuados por conta deste desta estratégia. Resumindo, alto custo para a organização, descontentamento dos colaboradores e perda de credibilidade.

Em situações mais amenas, há o crescimento da insatisfação dos colabores e a queda de produtividade. Passa-se então ao apoio falso do projeto, onde os colaboradores apoiam o projeto na fala, mas só isto. Na primeira oportunidade o que ocorre é uma torrente de reclamações.

Esta situação se dá por conta da imposição, pois os colaboradores não tiveram o tempo necessário para assimilar a mudança. Há ainda o fato de não terem participado das decisões e, consequentemente, não desenvolveram o senso de pertencimento.

O resultado é claro, sofrem os colabores e a organização.

Considerações finais:

Assim, caro leitor, encerra-se a explicação sobre as mudanças impositivas. Apesar do conhecimento sobre os efeitos, não é raro ver este tipo de situação ocorrer.

O autor crê que muitas organizações ainda tem a cultura de achar que projeto de sucesso é somente prazo, custo e qualidade da entrega. De nada adianta tudo isto se o projeto não trouxer retorno para o negócio, se os colabores não utilizarem ou, em pior grau, se gerar outros problemas como insatisfação, queda de produtividade e desligamentos.

A comunicação e a participação das partes interessadas é fundamental para o sucesso do projeto, isto deve-se ao fato a participação leva a colaboração durante e após o término do projeto, garantindo resultados melhores para as organizações.

Referência bibliográfica:

HCMBOK: o fator humano na liderança de projetos – Vicente Gonçalves; Carla Campos – 3ª edição – Rio de Janeiro – Brasport, 2016.

Sobre o autor

Daniel Teran Duarte

Formado em análise e desenvolvimento de sistemas e pós-graduado em Administração de empresas pela FGV – Fundação Getúlio Vargas, e em Consultoria empresarial pela FIA – Fundação Instituto de Administração. Em seus conhecimentos complementares existem diversas certificações, com destaque para as seguintes: Formado em análise e desenvolvimento de sistemas e pós-graduado em Administração de empresas pela FGV – Fundação Getúlio Vargas, e em Consultoria empresarial pela FIA – Fundação Instituto de Administração.

Em seus conhecimentos complementares existem diversas certificações, sendo estas: PMP – Project Management Professional; PRINCE2® Practitioner; PSM I – Professional Scrum Master I; HCMP® 3G Expert Professional; MCP - Microsoft Project 2013; ITIL V3 Expert; ISO 20.000 Consultant Manager; HDI SCM - Support Center Manager; Cobit; ISO 9001:2015 Auditor Líder; ISO 22301:2012 Auditor Líder.

Para conhecer mais sobre Daniel Teran Duarte, visite o perfil no Linkedin ou encaminhe um e-mail.

Link permanente para este artigo: http://linksinergia.com.br/2018/06/04/mudancas-impositivas-hcmbok/